sábado, 5 de janeiro de 2013

SELEÇÃO NATURAL

Digamos que o bem é tratado como uma utopia. E para que essa utopia seja mantida é necessário a pratica do mal. Vamos ilustrar: a cenoura na frente do burro, onde a cenoura é a utopia do bem, enquanto que todo cenário dessa ilustração é o mal por manter o corpo numa prisão através de uma esteira que cria um movimento e um ângulo de noventa graus limitando a percepção do espaço. A limitação do campo de percepção somada ao movimento artificial cria uma simulação do movimento natural das coisas em direção a um único propósito: o bem, a utopia.
Somos tecnológicos desde o início porque dominamos a arte da técnica. O conceito de máquina encontra-se na técnica por isso nossa aproximação com elas. Somos técnicos em todos os sentidos, principalmente quando se trata do pensamento. Seria a percepção da técnica e sua arte de manipular a invenção do mal em detrimento do bem? Então quer dizer que para conhecer o bem é preciso primeiro conhecer o mal? E quem está preparado para praticar o bem uma vez que tem que conhecer o mal? E o poder de manipular a realidade e os outros quanto custa para o bem sexual do corpo?
Ser escravo é mais fácil! Ser a “vítima” livra-me da percepção do mal em mim: looper! A Verdade... Só para os super-homens!

Nenhum comentário: