segunda-feira, 13 de março de 2017

121 ANOS DE PSICANÁLISE E O MUNDO CONTINUA CADA VEZ PIOR

Vocês ainda percebem o vazio como ausência de objetos... Uma forma de proteger o corpo da parafernália de imagens/objetos que compõem o infinito cósmico. Não existe vazio! Ele existe apenas como ilusão/alienação para que não se veja a verdade. Nem todo mundo pode ver Deus, só os puros. Psicanálise é ciência e é religião... FUNÇÃO PSICANALÍTICA: Preservar os corpos dos cidadãos da percepção de Deus, protegendo-os da morte, preenchendo o vazio (da não percepção) inserindo-os na engrenagem do sistema maquínico da pirâmide social atual chamada MATRIX. Ela vigia as fronteiras do possível. Essa é a minha afirmação sobre a psicanálise. Mas se para você não é ciência nem religião, o que é então? No entanto todos os seus conceitos encontram-se nos tratados de filosofia antigos que tem ciência e misticismo como verdade sobre a realidade que vivemos. Quanto mais estudo cabala, mais entendo a psicanálise. Não é uma questão de interpretação, mas de concepção. Não leio muita coisa de Freud muito menos Lacan, mas compreendo a psicanálise na sua origem cabalística. Podemos nos achar "modernos" por termos "escovas de dente", "carros a gasolina" e "sabonetes", mas as verdades absolutas (ciência e misticismo) ainda são as mesmas desde os primórdios da nossa era primitiva, quando usávamos o sacrifício humano para impor medo e poder (Totem e Tabu). Lacan ao invés de falar de Deus, fala do Pai biológico como Deus. Limitando nossa percepção de Deus como homem. Ninguém compreende a psicanálise sem passar pelo seu processo iniciático, já conversamos sobre isso. No mais, a clínica psicoterápica não se resume aos consultórios de psicologia e psicanálise e tão pouco a psicanálise é o único meio para se iniciar nos mistério da vida. Se afirmo que conheço a psicanálise está claro que essa afirmação não se limita aos conteúdos teóricos. Quem só tem teoria não afirma nada na vida, só copia os modelos em “blocos de notas” da representação do sujeito. O que encontro em livros são confirmações daquilo que tenho em prática e a partir daí posso afirma como verdade ou mentira (intuição como método científico). Não sou um psicanalista porque não comungo dos seus dogmas. Não faço parte dessa escola mística de iniciação dos mistérios da vida, como qualquer outra sociedade secreta mundo a fora. Minha iniciação nos mistérios da vida se deu aos cinco anos de idade quando comecei a praticar esporte radical (bicicross), dando inicio a busca do segredo. Nasci em 1975, por tanto, num mundo completamente psicanalisado. Comecei cedo meu processo psicanalítico sem nem conhecer a própria conscientemente e muito menos enfurnado dentro de uma sala cheirando a mofo de sarcófago egípcio. Encontrar a psicologia por “acaso” 20 anos depois foi algo genial, provando que minha consciência não está só dentro da minha cabeça. A psicanálise está lá fora, por todos os lugares.

Nenhum comentário: