segunda-feira, 6 de março de 2017

MÁQUINA DESEJANTE CELIBATÁRIA

A máquina desejante sucumbe no caos das verdades efêmeras da circulação de informações. Perde o objeto de desejo e lança-se desesperadamente no mundo. Na verdade ela nunca perdera o objeto de desejo uma vez que nunca o obteve de verdade. Todas as suas conquistas foram apenas ensaios do que imaginava está vivendo. Fluxo de esperma, gozo desenfreado, linha de fuga perigosa... Uma questão de corpo sem órgãos. Percepção invertida da lógica natural. Puro capitalismo injetado na veia. E para não consumir: sexo, muito sexo. Liberdade na lubrificação desejante da simulação do capital lacaniano. Lógica natural invertida por se tratar de uma falsa liberdade representada pelo prazer. Sinto de castidade onde tudo é sexualmente psicanalisado. Mas, eis que o sol brilha novamente, trazendo o artista, o brincante, o lúdico. Antídoto para todas as trevas. A “lógica do sentido” é abrir conexões entre mente e corpo. Pensamentos são chaves virtuais de abertura corporal – esse é o jogo. Assim, o que acontece quando o pensamento impõe ao corpo a sua lógica natural e freia o fluxo de esperma capital? Liberta o corpo do movimento a que estava habituado. Toda sublimação é celibatária. A criação demanda equilíbrio de forças onde o celibato torna-se necessário. Estou a falar da pedra filosofal. Canalização de energia. Movimento contrário ao do capitalismo que trabalha com dispersão. Como é fácil perceber a destruição de nossa civilização cujo caminho é contrário a natureza. Uma vez que o corpo se acostuma com os desejos de simulação do capital lacaniano, torna-se complicado deixar os vícios. É preciso muita lógica de sentido para seguir viajem sem cair nos “buracos-negros/muros-brancos” que circulam nas redes midiáticas de tecnologia limpa. A máquina desejante aos poucos vai sentindo a desoxidação de suas engrenagens virtuais. Entra num estado de meditação profunda, intui organizar seu corpo como forma de equilibrar o mundo fora de si. Torna-se agora uma máquina abstrata, cuja abstração tem a função de interferi na simulação platônico-lacaniana. Ciclotron: a máquina abstrata de criação do corpo sem órgãos.

Nenhum comentário: