quarta-feira, 22 de março de 2017

ZEN_SURFISMO

Que silêncio ensurdecedor!
Continuem fazendo barulho.
Agora estamos atravessando o vale da morte.
Onde a morte cheira vida.
Luz acesa anunciando um novo amanhecer.
Aurora da minha vida, aurora querida.
Conto os dias da tua chegada.
Quando na madrugada.
Vem surgindo o esplendor de uma nova morada.
Querida de comunhão.
Gravitação.
Acabou a alienação.
Derrubem os portões.
Das delegações.
Instituições.
Porcalhões.
Vou fazendo a lição.
Criação é a carta magna da solução.
Esperando o clarão.
Vou fazendo minha canção.
De antemão.
Não trago a solução.
Sou mensageiro dessa agitação.
Surf-base no pé.
Não tem lugar pra Mané.
Olha o jacaré.
Na maré.
Do abecedário deleuziano.


Nenhum comentário: